Tablog

Categoria : #prontofalei

A crise econômica, sem crise de choro: Tabloide Repórter descomplica o economês
Comentários COMENTE

Editor do UOL Tabloide

Você pode até não manjar de economia, mas em algum lugar dentro de você, algo diz que está sobrando mês no seu salário, certo? Se este é seu caso, confira totalmente grátis esta cobertura do Tabloide Repórter sobre este assunto crítico que é… a crise.

AO VIVO DA INTERNET, PREPARADOS?
NEM NÓS.
VALENDO


Hoje é Dia do Vizinho, palmas praquele “vizinho” chato de baia
Comentários 3

Editor do UOL Tabloide

Ai, ai, que dia incrível é comemorado neste sábado, dia 26 de abril. O Dia do Vizinho. Essa figura tão peculiar, pra qual não tem meio termo: ou você ama ou você odeia.

E tem vizinho de todo tipo, né?

Vizinho que gosta de fazer obra no andar de cima começando às 8h do sábado
Vizinho com filhos pequenos que têm insônia de madrugada
Vizinho com gosto musical duvidoso
Vizinho que gosta de bater papo bem no meio da correria do dia-a-dia
Vizinho que adora falar mal da vida alheia
Vizinho que curte tudo o que você posta no Facebook
Vizinho que dá saudades quando você muda de casa
Vizinho que adora arrumar encrenca porque você colocou o carro na frente da casa dele
Vizinho que ronca e você consegue ouvir do seu quarto
Vizinho que fuma e o odor impregna a sua casa
Vizinha que adoooora andar de salto alto meia-noite no andar de cima

Enfim, tipos desta figura tão popular não faltam, mas tem um outro tipo de vizinho sobre o qual o Editor do UOL Tabloide quer falar: o seu vizinho de baia, aquele que divide a mesa do trabalho com você.

Ahhh, que alegria, quando você chega e a linha invisível que separa a sua mesa da do seu colega foi ultrapassada e os livros, canetas e a marmita dele estão do seu lado.

E quando ele começa a falar ao telefone, com aquele tom de voz de locutor à lá “love songs”, para resolver sejam os problemas da firma, sejam os problemas pessoais.

Fora o triângulo das bermudas em que ficam as suas canetas cada vez que você as empresta pro colega.

Também tem aquele tipo “poste”, que fica atrás de você espiando a tela do seu computador para fuxicar se você está no Facebook ao invés de estar naquele relatório quilométrico.

E aquele que acha que está na sala de casa e resolve tirar caquinha de nariz (colando embaixo da mesa), arrancar os sapatos e soltar pum. Nem me fale.

Mas, é claro, que o Editor do UOL Tabloide não poderia se esquecer da sua vizinha de baia, a Sub da Sub, que o trata a pão de ló, digo, traz balas para a redação todos os dias para adoçar a vida, que já é tão amarga.

Uma palma para todos os vizinhos desse meu Brasil-sil-sil, incluindo os de baia. E uma palma só já tá bom.


Harlem shake e como a internet estraga as piadas
Comentários 5

Editor do UOL Tabloide

Lembra do meme “menos Luiza, que está no Canadá”? Todo mundo lembra, menos… enfim. Aconteceu há pouco mais de um ano, e talvez já fosse um sinal.

À medida que a internet avança, memes pipocam mais depressa que sentimento antiamericano no Afeganistão. O último hit temporário da web é o “Harlem Shake”, coreografia que consiste em filmar uma pessoa dançando, primeiro sozinha, depois acompanhada por várias outras.

Imagem do vídeo original do “Harlem shake”, que botou todo mundo pra dançar, menos Luiza, e fez cócegas no raciocínio do Editor do Tablog

As versões do “Harlem Shake” não têm sincronia nos movimentos nem relação com a música (de um tal dj Baauer, novato dos EUA). É como aquela cena do elevador do clipe de “Gangnam Style”, só que esticada pra durar 30 segundos, o tempo que durava o vídeo original do “Harlem Shake”.

De tão bizarra, a dancinha virou viral. De tão nonsense, o viral se espalhou lá fora. E como toda piada repetida trocentas vezes, o brilho do original está diminuindo por culpa dos clones.

Aqui a onda Harlem ainda não chegou forte, mas não deve demorar. Lá fora, nem a primeira dança do “Harlem Shake” encostou no número de visualizações de “Gangnam style” (ainda), porque o número de vídeos com reinterpretações do “HS” original  é grande.

Talvez seja um sinal: se todo mundo é uma celebridade ao mesmo tempo, ninguém é uma celebridade. É quase como se tivessem zipado a fala do Andy Warhol: dos 15 minutos de fama previstos por ele, a coisa hoje se resume a 30 segundos, e olhe lá.

Escrito isso, pra quem ainda não viu, olha o Harlem Shake aí, gente! Quem tiver contribuições, mande o link nos comentários ou pro e-mail editordouoltabloide@uol.com.br (lembra quando e-mail era famoso?).


De mortos-vivos e pessoas muito vivas
Comentários COMENTE

Editor do UOL Tabloide

Já era suficientemente ruim a ideia de um filme de amor com zumbis.

Eis que agora acabam de anunciar que o falecido Tamagochi voltou à vida.

“Ele ainda está morto, mas ainda dá pra ganharmos dinheiro com o filme de zumbi. Vai por mim”

Pra quem não tem idade pra lembrar, Tamagochi era uma praga de um tempo anterior ao smartphone e aos jogos no Facebook. Consistia em um bichinho virtual que precisava de cuidados pra não morresse de fome, solidão etc. É como um cachorro imaginário que você (ou seus pais, no caso) pagava pra ter. Em troca, ele não fazia cocô onde não devia nem destruía seu sofá.

A maioria dos tamagochis daquela época não sobreviveu aos dias de hoje, mas, como se vê pelo tal romance morto-vivo, tudo pode ser zumbificado.

O lado bom é que esse tipo de notícia só encoraja o Editor do Tablog a fugir pras colinas pra meditar sobre a humanidade. Se a próxima de Hollywood for outra ideia genial dessas, como botar a cena do tango de “Perfume de mulher” naquele filme enguiçado do Demolidor, vai valer a pena o refúgio espiritual.


ÊÊÊÊÊ, fim do mundôôôô, op, op, op op op! Nostradamus Style
Comentários COMENTE

Editor do UOL Tabloide

O que, eu me preocupar com o fim do Mundo? Psy dessa

Estava demorando pra virem com essa: saem os quatro cavaleiros do apocalipse, entra a dancinha do Psy.

Sim, apareceu um grupo de catastrofistas que considera “Gangnam Style”, a música e a coreografia, um sinal do fim dos tempos!

A paranoia apareceu primeiro no fórum do grupo Project Avalon. No espaço de discussões, alguém lembrou de uma letra, ops, profecia de Nostradamus que diz: “da calma manhã, o fim virá quando o número de círculos do cavalo dançante chegar a 9”.

Juntando lé com cré, um dos catastrofistas chegou ao seguinte: o tal círculo de cavalos dançantes seria Psy e seus dançarinos. Já o numeral nove seria o tanto de zeros que haverá quando o vídeo de “Gangnam Style” chegar à marca de um bilhão de visualizações no Youtube.

Sempre tem mais. Por coincidência, a Coreia do Sul se traduz como “Terra da manhã calma” – mencionada no início da profecia nostradâmica. E a Coreia do Sul é… a terra do Psy!

Ou seja, mais lenha pra fogueira apocalíptica. Desse jeito, vai faltar espaço na internet pro tanto de gente explicando porque o apocalipse deu chabu dia 22 de dezembro. (Quer dizer… assim o Tablog espera. Como diria aquele personagem do “Ensaio sobre a Lucidez” de Saramago, veremos)

TROMBETAS DO APOCALIPSE RELOADED: VEJA O HINO ANTES QUE ACABE, NA EXCLUSIVA VERSÃO “FOI TODO MUNDO QUEM MATOU”

 


É o fim da picada. Até os maias mudam de ideia sobre o apocalipse
Comentários COMENTE

Editor do UOL Tabloide

É pra acabar! Ensaio sensual da “Vogue” inspirado no fim

Afinal de contas, o fim do mundo não é nenhum fim do mundo. E se for?

Bem, isso aquela música do Lobão não previu: os maias mudaram o discurso sobre o fim do mundo!

A última deles é que 21 de dezembro, o dia “D” (de “danou-se”) não é de morte ou de extinção, mas sim de mudança de rumos. Ou de “novo caminho”, segundo um dos guias espirituais que se pronunciou a respeito.

O editor do Tablog, que comprou todos os presentes de Natal no cartão de crédito em quinZentas mil suaves prestações, teme que a continuação do mundo seja o fim. E torce pra que esta retificação do apocalipse esteja errada e logo venha um e-mail dos maias intitulado “Vale este: mundo acaba mesmo dia 21/12/12; previsões estão dentro da margem de erro”.

Por via das dúvidas, o UOL Tablog (e o UOL Tabloide também) vão acompanhar cada revelação desta contagem regressiva .

Na dúvida, estamos aí. Afinal de contas, cada notícia pode ser a última.

 


O mundo é um moinho. Movido por água que passarinho não bebe, parece
Comentários COMENTE

Editor do UOL Tabloide

Enquanto hoje a virgindade é tratada como mercadoria e até tema de reality show, é sempre bom lembrar: há 10 anos, entrava em vigor o novo Código Civil!

E daí que uma das bizarrices corrigidas por ele foi uma lei bisonha de 1916, que permitia ao marido pedir a anulação de seu casamento em até dez dias, caso descobrisse que sua prometida não era mais virgem.

Portanto, lembre-se: se hoje você pode vender certas coisas impunemente na internet, antigamente o Procon da vida a dois costumava ser muito mais impiedoso.

Por mais estranho que soe dizê-lo, melhoramos!


O mundo dos estudos é um lugar desmistificador, aponta estudo
Comentários COMENTE

Editor do UOL Tabloide

Chamada da notícia, em inglês: “Chocante: estudo revela que pessoas gostam de sexo e de beber álcool”

Conteúdo da notícia, em inglês: estudo revelador mostra que a maioria das pessoas prefere beber ou ter relações sexuais a trabalhar ou cumprir os deveres domésticos.

Depois o Editor do UOL Tablog é que é não tem mais o que fazer!

(p.s.: alguém sabe dizer se tem vaga pra chefe no lugar de onde saem esses estudos?)